logo
Português (pt-PT)English (United Kingdom)
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
MUSEUM
COLLECTIONS
EXHIBITIONS
SERVICES AND ACTIVITIES
SHOP
WHAT’S NEW?
INFORMATION

Autenticação

Partilhar

Facebook Image

 Google Arts & Culture

.:: Dedos em Garra PDF Print E-mail
Sábado, 26 de Novembro de 2022 // 18:00 h
16 November 2022

Dedos em Garra Recital do projeto Dedos em Garra, constituído por Tiago José Rodrigues, Simão Mota e Vasco Rodrigues, em torno da obra de Artur Paredes, com apresentação ao vivo e pela primeira vez de temas inéditos daquele músico. Evento sujeito à lotação da sala. Concerto comentado | Bilhetes - 6,00.

 

Reservas de bilhetes por telefone (217710990, das 11:00 h às 17:00 h).

 

Artur Paredes (1889-1980) foi um músico, guitarrista e compositor considerado o pai da Guitarra de Coimbra. Da sua guitarra ecoam os sons do povo, das tradições da cidade, como se de uma enciclopédia de melodias populares se tratasse. Os seus bordões soam ainda por Coimbra, em pano de fundo. Um século depois do seu aparecimento, Artur Paredes continua a ser uma das principais referências da guitarra em Portugal, pelo seu papel fundamental no desenvolvimento da guitarra de Coimbra e na preservação de um valioso património musical.

 

No entanto, apesar de toda a importância que lhe é atribuída nos dias de hoje, grande parte da sua obra permanece desconhecida. Através do acesso a gravações raras de espetáculos ao vivo e gravações caseiras com interpretações de temas inéditos, foi possível reconstituir grande parte da sua obra.

 

Este espetáculo pretende apresentar ao vivo e pela primeira vez a interpretação destes temas, que fazem sobressair as proezas técnicas e o estilo inconfundível de Artur Paredes.

 

Através de um exaustivo trabalho de estudo e pesquisa, Tiago José Rodrigues recupera, neste concerto, as técnicas, os acordes e as melodias que marcam a identidade da guitarra de Coimbra. É acompanhado à guitarra por Simão Mota e à viola por Vasco Rodrigues.

 


REPERTÓRIO

 

– Variações em Fá Maior
– Variações em Dó Maior
– Variações em Ré Menor
– Variações em Ré Menor n.2
– Variações em Ré Maior
– Variações em Mi Menor
– Variações em Lá Maior
– Variações em Lá Menor n.2
– Variações em Si Menor
– Passatempo n.1
– Rapsódia n.2
– Fantasia
– Valsa de Outros Tempos

 


TIAGO JOSÉ RODRIGUES nasceu na cidade de Braga em 1995. Iniciou o seu percurso musical na viola aos 12 anos, de forma autodidata. Em 2013 ingressa no curso de Medicina da Universidade de Coimbra. Durante o curso integrou o grupo de fado Ad Aeternum da Secção de Fado da AAC como viola de acompanhamento, tendo participado em vários concertos por todo o país. Em 2019, a paixão pela obra de Artur Paredes leva-o a dedicar-se exclusivamente à guitarra de Coimbra e a um extensivo trabalho de recolha, pesquisa e estudo. Desde então tem-se dedicado à redescoberta e aperfeiçoamento das técnicas utilizadas por Artur Paredes.

 

SIMÃO MOTA é natural de Lisboa, onde nasceu em 1998. Cedo demonstrou interesse pela música, tendo aprendido viola de forma autodidata. Em 2016 ruma a Coimbra para aprender guitarra de Coimbra com o Mestre Jorge Gomes. Participou em vários espetáculos, tanto em Portugal como no estrangeiro. Tem dedicado a sua atividade musical ao trabalho de recolha, estudo e interpretação dos mais diversos compositores, assim como a composição de temas originais. Do seu repertório fazem parte compositores como a família Paredes, António Brojo, António Portugal e Francisco Martins.

 

VASCO RODRIGUES nasceu na cidade de Coimbra em 2000. Desde cedo que, por influência do pai, a música de Coimbra faz parte do seu dia a dia. Aos 13 anos, a paixão pela música levou-o a iniciar o seu percurso musical na viola. Em 2019 ingressa no curso de Gestão de Recursos Humanos no Instituto Miguel Torga, em Coimbra. Nesse mesmo ano acaba por formar o grupo de fado d’Anto da Secção de Fado da AAC como viola de acompanhamento. Em 2021, começou a trabalhar com Simão Mota e Tiago Rodrigues e, desde então, tem explorado o vasto repertório da família Paredes.